A excentricidade e autoritarismo de Bolsonaro e Sergio Moro

Bolsonaro e Moro estão fora de controle e parece que a justiça está com o rabo preso, pois nenhuma atitude é tomada para impedir os abusos e o autoritarismo desses dois excêntricos, que estão usando os supostos hackeamentos para desviar o foco de seus crimes.

O autoritarismo de Moro e Bolsonaro tem o objetivo de perseguir trabalhadores, estudantes, esquerdistas e até jornalistas que denunciam suas mazelas e crimes contra a democracia. É o caso de Glenn Greenwald, que teve sua prisão pedida por deputados do PSL.

Uma prova desse autoritarismo inaceitável está no fato de Moro ter acesso a investigações sigilosas da Polícia Federal. Como se não bastasse, dar ordens para que as supostas provas fossem destruídas. Claro que essas provas, muito possivelmente, devem compromete-lo no caso da “Vaza jato”.

Não podemos permitir tamanho abuso de autoridade. O povo precisa sair às ruas para protestas e impedir que Jair Bolsonaro e Sergio Moro continuem desrespeitando direitos fundamentais. Não se pode admitir que um ministro baixe uma portaria com uma série de medidas para prender e deportar estrangeiros que aparentemente sejam um “risco ao país”, como fez Moro com a portaria 666, que dá à Polícia Federal o poder de prender e expulsar uma pessoa do país sem nenhum julgamento. É claro que essa atitude é uma tentativa de se livrar de jornalistas indesejáveis e demais dissidentes ao seu governo.

Bolsonaro cresceu com a aprovação da Reforma da Previdência e acredita que pode tudo, agora. Quer aproveitar a vitória para implantar uma agenda de autoritarismo contra os direitos dos trabalhadores e aposentados. Como Bolsonaro é um néscio de carteirinha, sua maior intenção é atacar a educação e a esquerda. Todo governo autoritário odeia a educação, pois ela é a responsável pelo enfraquecimento e derrota dos déspotas.

Bolsonaro só foi eleito porque o mercado financeiro encontrou nele a melhor oportunidade para aprovar a reforma da previdência. Não poderia haver um candidato melhor que este. Sem inteligência suficiente para governar seria fácil manipula-lo. Com Bolsonaro, o golpe poderia se concretizar e o país se tornaria facilmente um subalterno dos EUA. Tudo que o capital financeiro almeja.

Para que esse plano fosse possível, montou-se uma grande quadrilha no país. Uma quadrilha formada por políticos, empresários, juízes e procuradores. A Lava Jato foi o instrumento mais poderoso para que tal intento tivesse seu êxito. É certo que a Lava Jato prendeu bandidos e corruptos que mereciam a cadeia, mas é certo, também, que tudo não passou de uma encenação para que essa quadrilha alcançasse seu objetivo, impedir o avanço brasileiro no mercado internacional e entregar nossas riquezas para o capital estrangeiro.

Por Alvaro Santos

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.