Após escândalo da máfia das multas em Assis, ausência dos agentes de trânsito gera preocupação

O escândalo da fábrica de multas pode ter sido um balde de água fria jogado no poder executivo de Assis. A cidade parece desguarnecida dos agentes de trânsito que têm a função de fiscalizar, coordenar, orientar e realizar operações de tráfego. Sendo um servidor público, também cabe a ele a responsabilidade de mediar conflitos entre a população e a administração pública.

Agentes não existem apenas para sacar os talões e distribuir multas aos infratores de trânsito, portanto, não se justifica a pouca importância que a administração pública dá, hoje, aos cuidados e fiscalização do trânsito de uma cidade que possui mais de cem mil habitantes e que recebe diariamente, milhares de pessoas de sua região.

O Vereador Valmir Dionizio (PSD), enviou requerimento à prefeitura solicitando informações sobre melhorias nos estacionamentos para motocicletas na área central da cidade e sobre a fiscalização dos bolsões, pelo fato de muitos moto-taxistas usarem os bolsões como local de trabalho. Mas o Poder executivo se limitou apenas em responder que a Prefeitura está sem agentes de trânsito e que o convênio com a Polícia Militar venceu em 28/11/2018.

Diante disso, o Vereador decidiu encaminhar um requerimento ao Poder Executivo, solicitando informações e melhorias sobre a atual situação. Afinal, porque a Prefeitura não renovou a parceria com a Polícia Militar? Onde estão trabalhando os servidores municipais que desempenhavam a função de agentes de fiscalização do trânsito? E o que está fazendo para resolver este problema?

Segundo o Vereador Valmir Dionizio, a prefeitura tem 15 dias, após protocolado o requerimento, para se justificar perante a Câmara Municipal.

Por Alvaro Santos
Foto: Prefeitura Municipal de Assis

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.