Apreensão de drogas em Paraguaçu Paulista é usada para incitar ódio contra MST

Apesar das inúmeras polêmicas e denúncias contra a campanha de Donald Trump e a de Jair Bolsonaro, as notícias falsas, conhecidas como “fake news”, continuam a todo o vapor.

No Brasil, a tentativa de desqualificar candidatos e movimentos sociais, fez das redes sociais, verdadeiros campos de batalhas com bombas de fake news caindo à toda hora. Nem o escândalo de Watergate, que causou a renúncia do presidente norte americano, Richard Nixon, se compara a tamanha baixaria.

O processo eleitoral chegou ao fim, porém, muitas pessoas parecem que não perceberam isso e continuam com seus ataques de notícias falsas. O MST é um dos alvos preferidos dos internautas criminosos. Um vídeo que circula nas redes sociais, sobre a apreensão de um avião agrícola com 990 quilos de maconha, está sendo usado para incitar o ódio contra o movimento.

A falsa notícia, com milhares de compartilhamentos, de páginas de apoio a Bolsonaro e ao juiz Sérgio Moro, afirma que o fato aconteceu no município de Descalvado SP, mas a verdade é que a apreensão se deu numa pista clandestina de uma propriedade rural em Paraguaçu Paulista SP, a 380km de Descalvado.

Assista o vídeo da página “Sou Bolsonaro”, clicando aqui.

O proprietário da área, preso na operação, é um empresário local e ex-bombeiro, chamado João Franco de Lacerda. Já o proprietário do avião, segundo o cabo Luciano de Souza, em entrevista para o jornalista Fábio Rosa, da TV Record, é um homem de nacionalidade africana e com várias passagens pela polícia.

Estes homens, bem como os outros dois, o piloto, José Albano Martins das Neves e Ronaldo Camilo dos Reis, não possuem qualquer ligação com o MST. A fake news foi criada, propositadamente, para atingir e desacreditar o movimento que possui, pelo menos, 350 mil famílias assentadas e que já se tornou o maior produtor de arroz orgânico da América Latina.

Assista a reportagem da Record clicando aqui.

Por Alvaro Santos
Foto: Reprodução / TV Tem

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.