Empreendedorismo. Existe uma fórmula para chegar lá?

Já tem um tempo que a palavra empreendedorismo está em alta. Em um país em que as leis trabalhistas e a crise econômica não favorecem o trabalhador, é cada vez maior o número de pessoas que querem ter seu próprio negócio. E isso criou um novo nicho de mercado: o das palestras e das receitas “infalíveis” sobre o empreendedorismo.

O que você precisa saber é que, não necessariamente, a palavra tem a ver com ter um negócio ou ser um empresário.

“Segundo o teórico Joseph Schumpeter, o empreendedorismo está diretamente associado à inovação. Para Schumpeter, o empreendedor é o responsável pela realização de novas combinações, como a introdução de um novo bem, método de produção ou comercialização e até a abertura de novos mercados. Isso significa que ‘a essência do empreendedorismo está na percepção e no aproveitamento das novas oportunidades no âmbito dos negócios’”.

Você pode empreender em diversos setores da sua vida e do que você faz. Empreendedorismo, sobretudo, não é uma receita pronta. Apesar de eu acreditar em muitos líderes e admirar histórias sobre inovação, não acredito em temas como “10 lições para ser um empreendedor.” Porque, antes de mais nada, quem quer inovar precisar ter espírito crítico e ter vontade de fazer algo realmente diferente. Precisa de inspiração e transpiração, mais do que fórmulas mágicas.

Aliás, para empreender, sobretudo, é preciso muita transpiração. É muito trabalho, dia e noite. E aí não adianta só a inspiração. É mão na massa, é resiliência, é sobre você saber cair e levantar. É aguentar os trancos, pensar rápido e não desistir. E, como tudo, é um processo de aprendizagem, que não vem do dia para a noite.

Por conta da minha história e de como a Inoar nasceu, não são poucos os convites para que eu narre a minha experiência. E, de fato, eu gosto muito deste contato com o público. Já foram inúmeras as palestras que dei, tanto no Brasil, como no exterior, e nelas procuro lançar um olhar verdadeiramente novo, fora do comum, para as mais variadas plateias. Acabam saindo boas surpresas nesses eventos.

Porém não é raro, também, receber convites para que eu me apresente em grandes palcos de encontros de líderes com um detalhe: pagando altas taxas pelo espaço promocional. Para estes convites eu digo não. Não me convidem se for assim. Eu realmente prefiro usar o dinheiro de uma inscrição desta nos meus projetos sociais, nas ONGs parceiras e que são tão carentes de ajuda da sociedade (esta mesma que promove festas caras para a elite).

Gosto do contato com os mais variados tipos de pessoas e é justamente por isso que prefiro colaborar com quem realmente precisa em vez de me promover em palcos refinados.

Eu quero promover o bem-estar e não a minha imagem. Quero ser inspiração verdadeira, e não mais um clichê. O empreendedorismo para mim sempre foi sinônimo de trabalho feito com afinco e voltado para trazer melhorias para as pessoas, com inovação. E esta lição somente pode ser dada a partir da premissa de que não basta fazer mais do mesmo.

Por Inocência Manoel

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.