Inocência Manoel, fundadora da Inoar, cria grupo de apoio a desempregados

Inocência Manoel é uma daquelas pessoas que surpreendem pelo histórico de lutas, conquistas e humanização. Empresária de sucesso e reconhecida internacionalmente, não esqueceu as origens e as dificuldades que enfrentou. Manteve seu coração sempre aberto e sensível às dores humanas. Diferente de muitos empresários, Inocência se compadece dos que sofrem pela falta de oportunidades e de políticas inclusivas.

Através do seu projeto, Beleza Solidária, encontrou um meio para amenizar a dor e devolver a autoestima e a esperança de milhares de pessoas no Brasil e no exterior. O projeto oferece cursos à população de baixa renda e estimula a formação de novos empreendedores para o mercado.

O número crescente de desempregados em Assis e as doenças emocionais, consequentes da falta de oportunidades, despertou em Inocência o desejo de montar uma página para ajudar quem está sofrendo com a situação.

A página, Revolução Solidária, está aberta para todos que querem ajudar, divulgando vagas de trabalho, cursos gratuitos ou de baixo custo e, até mesmo, com apoio emocional e motivacional.

Abaixo, segue o texto que Inocência publicou em seu blog, www.inocênciamanoel.com, falando sobre essa bela iniciativa:   

“No meu último post, falei sobre o desemprego, mas não comentei o quanto fico arrasada ao ver as notícias de demissão em massa. Isso me abala. Talvez vocês não saibam, mas sim, eu já estive do lado de lá.

Ouvir uma dispensa nunca é fácil. Mas ser desligado do seu trabalho te tira de fato o chão. O trabalho é nosso alicerce, é aquilo que alimenta nossos filhos, coloca comida na mesa.

Este número impressionante trouxe outra estatística terrível: O Brasil registrou um aumento de 16,8% na taxa de mortalidade por suicídio nos últimos anos. O crescimento está relacionado sobretudo ao aumento de casos entre homens. São mais de 30 óbitos por dia. Dentre os fatores de risco para o suicídio, nos casos em que houve registro, 52% indicavam que a pessoa estava desempregada.

Além do suicídio, doenças como depressão e síndrome do pânico vêm aumentando exponencialmente. Pesquisas da OMS revelaram que 9,3% dos brasileiros têm algum transtorno de ansiedade e a depressão afeta 5,8% da população.

Não importa o cargo, a condição social, todo desempregado fica vulnerável. Conheço casos de pessoas próximas a mim que tiraram a vida como consequência do desemprego e não consigo ficar alheia a isso.

A falta de trabalho e falta de um salário, junto com as incertezas, tiram a autoestima das pessoas, até a sua vontade de viver.

Gostaria de reunir neste grupo, Revolução Solidária, pessoas que pensem, assim, também, para fazermos a nossa parte para auxiliar as pessoas que estão em busca de recolocação ou que precisem de motivação para continuar.

Vamos divulgar vagas, cursos gratuitos, capacitações, ideias para sair da crise, oportunidades!

Convido vocês, empresários, empreendedores, criativos, todos que tenham uma ideia para colocá-la aqui.

Quem sabe não é o seu post que fará a diferença na vida de alguém!?

O que está acontecendo em nosso país é muito triste. Se cada um ajudar, podemos fazer a nossa revolução”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.