Mais um dia de manifestação no centro de Assis

Um grande grupo de pessoas, na sua maioria professores e alunos, se concentrou no centro de Assis, para mais um dia de protesto contra o governo Bolsonaro e a favor da Educação (30/05). A concentração aconteceu na praça da Catedral.

Durante a concentração, os manifestantes fizeram discursos, exibiram cartazes e entoaram gritos de ordem, denunciando as ameaças e os ataques do governo contra as universidades e a Educação, em geral.  

 A Educação, que já se encontra em situação de risco, por conta do abandono pelos governos estaduais, agora está sofrendo ataques mais de cima, do Governo Federal. Os cortes, que o governo chama de contingenciamento para enganar os menos informados, trará uma profunda crise para o setor, fazendo com que milhares de estudantes sejam prejudicados e não consigam, sequer, concluir seus estudos.

As pesquisas científicas já estão sendo fortemente prejudicadas. Não há recursos para manter os projetos. Só o CNPq possui 80 mil bolsistas, que formam a base da pesquisa científica no Brasil, que poderão abandonar as pesquisas e até a universidade por causa dos cortes. Alguns países, como a Alemanha, já estão oferecendo bolsas para levarem nossos cientistas, tão desprezados pelo atual governo.

O Brasil perderá sua riqueza intelectual e deixará de realizar grandes descobertas e inovações tecnológicas, em todos os setores, principalmente na saúde. O grande culpado é o próprio governo, que não consegue entender a importância das pesquisas e da educação para o crescimento do país.

Bolsonaro e sua equipe de desajustados, declararam guerra contra a educação. Essa obsessão ideológica e doentia, poderá levar o Brasil para a idade das trevas, onde tudo é proibido, só o que é sacro é permitido.

Bolsonaro, mesmo com seu envolvimento com milicianos, com a corrupção e a velha política, que tanto condenou em campanha, se coloca como um enviado de Deus para manipular o povo mais humilde, conservador e fundamentalista, que forma a maioria. Comportamento inaceitável para um Presidente da República.

As manifestações de Assis e de outras inúmeras cidades do país, se apresentaram como um ato de resistência contra esses ataques morbígeros e sem fundamentação. Foi, também, uma tentativa de abrir os olhos daqueles que ainda não perceberam o plano obscuro e maquiavélico de um governo que se rendeu aos países mais ricos e às corporações estrangeiras, que têm como único objetivo, explorar nossas riquezas e nossa mão de obra.

Um governo que declarou guerra contra a Educação e contra tudo que ela representa. Que fez as pazes com as armas e vem estimulando a violência contra índios, homossexuais, mulheres, negros, pobres e miseráveis.   

Por Alvaro Santos

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.