O apoio da Globo à reforma da Previdência não é uma aproximação com Bolsonaro, apenas sujeição ao mercado financeiro

É difícil falar do governo sem citar uma de suas inúmeras trapalhadas. O vazamento do áudio, de uma conversa entre Bolsonaro e Bebianno, Secretário Geral da Presidência demitido nesta semana, parece uma discussão de dois alunos colegiais.

O áudio é uma demonstração de que Bolsonaro governa o país como se tivesse governando o campinho do bairro. Seu dualismo político e ideológico ainda produzirá crises, internas e externas, sem precedentes. Sua forma de lidar com conflitos políticos parece a mesma usada por gangs de rua. Talvez isso fará sentido, caso se prove sua ligação com as milícias do Rio de Janeiro.

Sei que ele tem ojeriza ao ex-presidente Lula, mas poderia deixar seus sentimentos perturbadores de lado e aprender alguma coisa com quem tem verdadeira expertise na arte da política. Lula se comportava como um grande estadista. Transitava com maestria nos meandros da política nacional e internacional. Não é à toa que, mesmo preso, teve sua candidatura ao prêmio Nobel da Paz oficializada.

Voltando ao título em questão, o fato da Globo apoiar a reforma da previdência, fez muita gente acreditar que a Globo e Bolsonaro estavam começando a se entender, mas, graças a embrulhada da dupla Bebianno e Bolsonaro, essa tese caiu por terra. No referido áudio, Bolsonaro torna público sua malquerença à Rede Globo, a qual chama de inimiga.  

Essa situação contendedora entre a Rede Globo e Bolsonaro, só corrobora ainda mais com o discurso do ex-ministro da previdência, Ricardo Berzoni (PT). Em entrevista para a Revista Fórum, disse que os banqueiros e o sistema financeiro serão os que mais lucrarão com a reforma, pois são os mais interessados na implantação do sistema de capitalização.

Os bancos vendem milhares de planos de previdência privada, mais está longe de ser um sistema tão seguro como é o INSS (Instituto Nacional de Seguro Social). Enquanto a Previdência Social mantiver sua força, os bancos não conseguirão avançar muito nos negócios com os títulos de capitalização previdenciária.

É preciso entender, de uma vez por todas, que o mercado financeiro e as grandes corporações, como a Vale, são quem realmente mandam nesse país. São eles quem bancam as campanhas milionárias de políticos e investem milhões em publicidade nas grandes mídias. Só os 5 maiores bancos brasileiros, investem mais de 1.6 bilhão em propaganda. Isso faz com que os grandes veículos de comunicação se curvem, se calem e manipulem notícias a favor desses grupos.

A Rede Globo é mais uma dentre os grandes abutres que vivem das carcaças deixadas pelo mercado, ou seja, ela levantará a bandeira branca, na guerra contra Bolsonaro, sempre que o mercado financeiro e as grandes corporações exigirem. Seu lucro e sua subserviência estão acima das suas guerras pessoais.

Por Alvaro Santos
Imagem: Jornal da cidade

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.