Já parou pra pensar que o sentido da sua vida está na contemplação?

Sempre que buscamos um sentido para a vida somos incitados à mudança, a buscarmos uma nova direção, algo que seja transformador, arrebatador e libertador. É claro que nenhuma mudança poderá provocar tal impressão sem que primeiramente mudemos nossa mente, nossa maneira de vermos e interpretarmos o mundo à nossa volta.

O filósofo Hume afirmou que não podemos saber com certeza como o mundo é “em si” só podemos saber como ele é “para mim”. Pensando em sua afirmação, deduzimos que a verdadeira mudança só é possível quando descentralizamos todo pensamento pré-estabelecido, todas as heranças sociais e culturais adquiridas pelo meio em que vivemos, quando nos esvaziamos de todo o preconceito e julgamento e nos posicionamos como ávidos observadores do mundo. Só assim poderemos nos aproximar um pouco mais do conhecimento sobre o mundo “em si”, que por sua vez, nos apontará um novo caminho, que nos permitirá ver com clareza o sentido real de nossas vidas.

Se alguém me inquirir quanto ao sentido da vida, direi que é viver em plenitude, deixando-se conduzir pelo conhecimento, pelas novas descobertas e pelo encantamento do mundo “em si”. A vida é uma bela aventura em busca do sentido, de uma razão para continuarmos levantando todas as manhãs. Uma aventura que nos exige apenas uma mente aberta e uma curiosidade extremamente inquietante.

A maioria das pessoas, infelizmente, jamais conseguirá embarcar nessa aventura, pois está aprisionada a certos dogmas, crenças e tradições que, no desejo de dominar, infundem o medo e a subserviência. Felizes aqueles que têm coragem de abrir as janelas dessa prisão e contemplar a infinitude do conhecimento, das possibilidades e da admirável beleza da vida.

Por Alvaro Santos

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.